Hydro expande revisão e lança auditoria após novo descarte de água de chuva não tratada na Alunorte

A Hydro expande o escopo da revisão independente, já em curso na Alunorte, realizada pela consultoria ambiental brasileira SGW Services. O objetivo é incluir todas as interfaces com áreas adjacentes à operação da refinaria. Além disso, a auditoria interna da Hydro realizará uma revisão completa de todas as licenças da Alunorte, complementando a revisão da SGW sobre as licenças e legislação relevante.

março 19, 2018

A decisão de expandir o escopo de trabalho da SGW e lançar uma auditoria interna foi tomada após a notificação da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas), em 15 de março. A notificação se refere à conexão sem licença entre a refinaria Alunorte e um canal de drenagem licenciado da planta de alumínio Albras. Esta conexão levava água de chuva não tratada do telhado do galpão de carvão da Alunorte para o rio Pará. A Hydro detectou também uma entrada adicional neste canal de água da antiga área de armazenamento de hidrato.

"Nós descartamos água de chuva e da superfície da refinaria não tratadas no rio Pará. Isso é completamente inaceitável e contraria o que a Hydro acredita. Em nome da companhia, pessoalmente peço desculpas às comunidades, às autoridades e à sociedade. Isso ressalta a importância de uma revisão completa da Alunorte, incluindo interfaces da operação com áreas adjacentes e a situação de licenciamento da planta para verificar o cumprimento integral das licenças. Precisamos do entendimento total para que possamos implementar as ações necessárias ", diz o presidente e CEO da Hydro, Svein Richard Brandtzæg.

De acordo com a licença da Alunorte, toda a água de chuva e da superfície da área da refinaria deve ser conduzida para a Estação de Tratamento de Efluentes Industriais (ETEI) da planta.  Os testes realizados pela Semas mostraram que a água, ao invés disso, fluía para o canal proveniente da Albras. Esse descarte não está relacionado com as chuvas extremas que ocorreram em fevereiro.

Após revisão interna, há também indicação de que a água da superfície da antiga área de armazenamento de hidrato pode ter sido conduzida para o canal da Albras.

A saída de água oriunda do telhado do galpão de armazenamento de carvão da Alunorte já foi fechada. A Hydro está trabalhando para encontrar a melhor solução para fechar também a conexão com a área de armazenamento de hidrato.

Conforme comunicado anteriormente, as conclusões da revisão interna e da primeira fase da consultoria independente serão apresentadas em 9 de abril, juntamente com as demais medidas necessárias.

A Hydro é a maior empresa de alumínio da América do Sul após a aquisição dos ativos de alumínio da Vale no Pará, em 2011. A Alunorte é a maior refinaria de alumina do mundo, emprega cerca de 2.000 pessoas e tem uma capacidade nominal de 6,3 milhões de toneladas por ano. A Hydro detém 92,1% da Alunorte.

Veja a imagem em tamanho real em "Documentos relacionados".
Veja a imagem em tamanho real em "Documentos relacionados".


Fatos sobre a situação na Hydro Alunorte


Actualizado: março 19, 2018