Skip to content

Tecnologia de tratamento de resíduos

Nossas operações no Pará contam com tecnologia de ponta para o tratamento e disposição de resíduos da produção de bauxita e alumina.

Sistema-de-monitoramento-DRS-1.jpg

No Pará, são utilizadas duas formas de armazenamento dos resíduos: as barragens, na Mina em Paragominas; e os Filtros Prensas e os Depósitos de Resíduos Sólidos, na Alunorte em Barcarena. Um terceiro método está em testes em Paragominas para eliminar a necessidade de armazenamento permanente de rejeitos na mineração de bauxita: “Tailing Dry Backfill”

A Mineração Paragominas tem dois sistemas de armazenamento: o Vale e o Platô. O sistema de barragens do Vale utiliza predominantemente uma combinação de métodos de alteamento a jusante e linha de centro. O sistema Reservatório do Platô nunca teve alteamento.

A Hydro está testando a metodologia do “Tailing Dry Backfill” que é pioneira na mineração no Brasil e representa o fim do uso de grandes barragens para armazenamento permanente de rejeitos de bauxita. A metodologia permite que os rejeitos inertes da mineração de bauxita sejam devolvidos às áreas já abertas e mineradas, ao invés de serem depositados em áreas separadas e permanentes de armazenamento. Após a secagem em depósito temporário por 60 dias, os rejeitos de bauxita são devolvidos às áreas mineradas, antes da área ser reabilitada e reflorestada.

A Alunorte utiliza a mais moderna metodologia do mundo para a disposição de resíduos com a utilização de 8 filtros prensa. Os filtros geram um resíduo seco com 78% de teor de sólidos, que é empilhado a seco e passa por um processo de compactação. Com a combinação dessas duas tecnologias (filtros prensa e compactação), o espaço necessário para armazenar os resíduos é quatro vezes menor, quando comparado à tecnologia anterior de filtro tambor. O resíduo seco é armazenado no Depósito de Resíduos Sólidos (DRS).

Saiba mais sobre nossa tecnologia de tratamento de resíduos: