Skip to content

Segundo trimestre de 2010

A Hydro teve receitas subjacentes antes dos itens financeiros e impostos de NOK 1.110 milhões no segundo trimestre, sendo que o registrado no primeiro trimestre foi NOK 688 milhões. Tais resultados básicos do trimestre foram elevados por conta dos preços maiores realizados do alumínio, melhorias continuadas em operações de alumina e vendas de distribuição mais altas.

  • NOK 1,110 milhões no EBIT básico no segundo trimestre.
  • Demanda sólida no trimestre sazonalmente forte.
  • Melhorias na produção com preços mais altos no alumínio e performance na produção de alumina.
  • Distribuição mais alta com fortes vendas, margens firmes e produtividade melhorada.
  • Queda no consumo de energia devido à produção de energia significativamente menor.
  • Crescimento na produção da planta de Qatalum dentro do cronograma para produção plena no 4º trimestre; 48% das cubas em operação no final do 2º trimestre.
  • Aquisição dos negócios de alumínio da Vale em andamento para conclusão no 4º trimestre.
  • Oferta de ações na ordem de NOK 10 bilhões foi concluída com êxito; previsão de crescimento dos principais mercados da Hydro inalterada em 12%.

"Os resultados sólidos são atribuídos ao maior volume de vendas, combinados com margens firmes e um rigoroso controle de custos num trimestre sazonalmente forte. Neste trimestre, a Hydro se firma como um executor forte no mercado", disse o Presidente e CEO da Hydro, Svein Richard Brandtzæg.

"A produção plena da planta de Qatalum e o fechamento da aquisição do negócio de alumínio da Vale estão previstos para o quarto trimestre. Combinadas, estas ações irão fortalecer a Hydro em todas as partes da cadeia de valor e nos tornarão um ator cada vez mais robusto numa indústria pronta para crescer", disse Brandtzæg.

Os resultados básicos do Metal Primário melhoraram durante o segundo trimestre, em comparação ao anterior, devido aos preços mais altos praticados para o alumínio. O negócio de alumina e matérias-primas da Hydro apresentou melhores resultados básicos, principalmente devido à refinaria de alumina Alunorte, que registrou volumes de venda mais altos como resultado de uma produção mais estável. Os custos variáveis aumentaram para as operações de redução da Hydro durante o trimestre.
 
Os resultados básicos dos Mercados de metal diminuíram no segundo trimestre, principalmente devido a um aumento dos efeitos negativos do câmbio, como resultado do enfraquecimento do Euro face ao dólar americano. A utilização da capacidade instalada e margens mantiveram-se firmes no trimestre, apesar do aumento dos custos das matérias-primas.

O EBIT básico para Laminados aumentou substancialmente em relação ao primeiro trimestre, impulsionado principalmente pelo maior volume de vendas. Margens mais elevadas e menores custos operacionais por tonelada também contribuíram para a melhoria dos resultados básicos. Os Extrudados também apresentaram resultados básicos significativamente melhores com base em volumes sazonalmente maiores e margens firmes em todos os setores do negócio.

O EBIT básico referente à Energia diminuiu substancialmente em comparação com o trimestre anterior devido à produção de energia hidrelétrica significativamente menor.

O crescimento da fábrica de alumínio Qatalum, no Qatar, continuou durante o segundo trimestre, com cerca de 48% das 704 cubas em operação no final de junho de 2010. A produção das cubas remanescentes da planta será incorporada durante 2010 e a conclusão do crescimento da planta está prevista para o quarto trimestre deste ano.
 
O caixa líquido gerado pelas atividades operacionais totalizou NOK 1,6 bilhão no trimestre. Os investimentos totalizaram NOK 1,3 bilhão, incluindo cerca de NOK 740 milhões relativos à Qatalum. Os investimentos da planta de Qatalum estão previstos para serem um pouco menores no segundo semestre de 2010, em comparação com o primeiro semestre, conforme o projeto se aproxima da conclusão. A dívida líquida da Hydro totalizou NOK 0.1 bilhão no final do trimestre.
 
Em 02 de maio de 2010, a Hydro anunciou um acordo para assumir a posição majoritária nos negócios de alumínio da empresa brasileira de metais e mineração Vale. A transação deverá ser concluída no quarto trimestre de 2010. A fim de mitigar o risco de um preço menor do alumínio e garantir um fluxo de caixa robusto, a Hydro fez hedge da maior parte da exposição de preço líquido do alumínio no negócio adquirido até o final de 2011 de cerca de USD 2,400 por mt.
 
Para financiar parcialmente a operação, apoiar a classificação do nível de investimento da empresa, bem como sua capacidade de implementar projetos futuros, a Hydro lançou uma oferta de ações para reforçar seu capital social da ordem de NOK 10 bilhões. A oferta de ações foi concluída com êxito, com os rendimentos recebidos pela Hydro em 16 de julho, e as novas ações foram entregues aos subscritores e admitidas à negociação na Bolsa de Valores de Oslo e na Bolsa de Valores de Londres em 19 de julho. Para mais informações sobre a transação e a oferta de ações, consulte o Regulamento e o Prospecto, datados de 02 de junho de 2010 e 21 de junho de 2010, respectivamente. 

Key financial information
NOK million, except per share data Second
quarter
2010
First
quarter
2010
% change prior quarter Second
quarter
2009
% change prior year quarter First
half
2010
First
half
2009
Year
2009
                 
Revenue 19,779 18,145 9 % 17,617 12 % 37,924 34,186 67,409
                 
Earnings before financial items and tax (EBIT) 1,157 985 17 % 410 >100 % 2,142 (1,188) (1,407)
Items excluded from underlying EBIT (47) (297)   (1,029)   (344) 77 (1,148)
Underlying EBIT 1,110 688 61 % (618) >100 % 1,798 (1,111) (2,555)
                 
Underlying EBIT :                
Primary Metal 657 (49) >100 % (895) >100 % 607 (1,079) (2,556)
Metal Markets 31 65 (52) % 196 (84) % 96 (48) (83)
Rolled Products 309 223 39 % (28) >100 % 532 (82) 26
Extruded Products 201 117 72 % (26) >100 % 318 (230) (67)
Energy 177 588 (70) % 281 (37) % 766 728 1,240
Other and eliminations (265) (255) (4) % (146) (81) % (520) (400) (1,114)
Underlying EBIT 1,110 688 61 % (618) >100 % 1,798 (1,111) (2,555)
                 
Net income (loss) 598 924 (35) % 282 >100 % 1,523 2 416
                 
Underlying net income (loss) 530 401 32 % (572) >100 % 931 (1,052) (3,066)
                 
Earnings per share 0.40 0.68 (42) % 0.17 >100 % 1.08 (0.11) 0.24
                 
Underlying earnings per share 0.34 0.27 26 % (0.51) >100 % 0.61 (0.94) (2.50)
                 
Financial data:                
Investments 1,261 1,766 (29) % 765 65 % 3,028 1,450 5,947
Adjusted net interest-bearing debt (18,191) (16,939) (7) % (19,236) 5 % (18,191) (19,236) (15,645)
                 
Key Operational information
Primary aluminium production (kmt) 362 339 7 % 338 7 % 701 735 1,396
Realized aluminium price LME (USD/mt) 2,200 1,997 10 % 1,468 50 % 2,099 1,727 1,698
Realized aluminium price LME (NOK/mt) 13,302 11,542 15 % 9,598 39 % 12,401 11,456 10,764
Realized NOK/USD exchange rate 6.05 5.78 5 % 6.54 (7) % 5.91 6.63 6.34
Metal Markets sales volumes to external market, excl. ingot trading (kmt) 457 414 10 % 375 22 % 871 695 1,468
Rolled Products sales volumes to external market (kmt) 242 231 5 % 187 30 % 473 378 794
Extruded Products sales volumes to external market (kmt) 141 128 10 % 112 26 % 269 218 453
Power production (GWh) 1,621 2,781 (42) % 1,809 (10) % 4,402 4,286 7,897

Sobre o relatório da Hydro

A fim de apresentar uma melhor compreensão do desempenho básico da Hydro, a seguinte discussão sobre seu desempenho operacional exclui certos itens do EBIT (lucro antes de itens financeiros e impostos) e do lucro líquido. Consulte "Itens excluídos do EBIT básico e do lucro líquido" para obter mais informações sobre tais itens.

EBIT reportado e lucro líquido

O EBIT reportado da Hydro totalizou NOK 1.157 milhão para o segundo trimestre de 2010, incluindo efeitos líquidos positivos de NOK 47 milhões compostos de perdas não realizadas líquidas de derivados, no montante de NOK 292 milhões, efeitos positivos do metal de NOK 206 milhões, e outros efeitos positivos de NOK 133 milhões, principalmente relacionadas às mudanças nos planos de pensão da Noruega.
 
No trimestre anterior, o EBIT reportado da Hydro totalizou NOK 985 milhões, incluindo efeitos líquidos positivos de NOK 297 milhões compostos de perdas não realizadas líquidas de derivados no valor de NOK 42 milhões, efeitos positivos do metal de NOK 314 milhões, além de outros efeitos positivos de NOK 25 milhões.
 
O lucro líquido atingiu NOK 598 milhões no segundo trimestre, incluindo os ganhos cambiais líquidos de NOK 151 milhões referentes a saldos intercompanhias denominados em Euro. Estes ganhos não têm efeito caixa e são compensados no capital social pela tradução das subsidiárias correspondentes durante a consolidação. No primeiro trimestre, o lucro líquido atingiu NOK 924 milhões, incluindo ganhos cambiais líquidos de NOK 515 milhões relativos a saldos intercompanhias denominados em Euro.

Desenvolvimento e perspectivas de mercado

Os preços médios de três meses na Bolsa de Valores de Londres (LME) diminuíram no segundo trimestre e terminaram com o preço de três meses na LME em US$ 1,954 por mt.

A demanda global por alumínio primário, excluindo-se a China, se fortaleceu no segundo trimestre, atingindo um consumo anual de cerca de 24 milhões de toneladas.

A produção fora da China aumentou para 25 milhões de toneladas/ano.
A demanda por alumínio primário na China aumentou em relação ao trimestre anterior para cerca de 17,6 milhões de toneladas por ano. A produção ficou relativamente estável, em torno do mesmo nível, resultando em um mercado equilibrado durante o trimestre.

As ações na LME caíram ligeiramente para cerca de 4,4 milhões de toneladas no final do segundo trimestre em comparação com 4,6 milhões de toneladas no início do trimestre.

A demanda por produtos metálicos (lingote para extrusão, chapas, ligas de fundição e fio-máquina) durante o segundo trimestre continuou acima dos níveis registrados no mesmo trimestre do ano passado.
 
O consumo no mercado europeu de produtos laminados planos melhorou em 5% no segundo trimestre de 2010, comparado com o trimestre anterior. Os níveis de pedidos mantiveram-se firmes, refletindo o crescimento da demanda na utilização final em relação a 2009. A demanda no mercado norte-americano mostrou desenvolvimentos similares. A demanda deverá permanecer estável no terceiro trimestre, mas com um declínio sazonal normal.

A demanda europeia por produtos de alumínio extrudado diminuiu ligeiramente em relação ao primeiro trimestre, que foi influenciado pela reformulação de estoques dos clientes. A América do Norte experimentou um aumento sazonal da demanda em comparação com o primeiro trimestre de 2010 e o fraco segundo trimestre de 2009, e o mercado parece estar melhorando depois de um longo período de declínio contínuo. A demanda no mercado da América do Sul continuou a ser positiva, principalmente no Brasil.

Em uma base combinada, continuamos a esperar que a demanda nos principais mercados de produção e distribuição cresça cerca de 12% em 2010.

O preço para entrega imediata (spot) da eletricidade Nórdica diminuiu durante o segundo trimestre, devido a uma queda na demanda após um inverno frio recorde. O tempo seco da primavera no sul da Noruega resultou em níveis mais baixos de reservatórios nesta região do que no Norte da Noruega e Suécia. A produção de energia deverá ser inferior ao normal até que os níveis de reservatórios sejam normalizados.

Outros fatores que impactam a Hydro

A Hydro vendeu antecipadamente quase toda a sua produção de alumínio primário para o terceiro trimestre de 2010, num nível de preços de cerca de USD 2,175 por mt, excluindo produção prevista da planta de Qatalum.

Qatalum continuará a ter prejuízos operacionais durante o período inicial da produção. Preços da produção da Qatalum estão com uma defasagem de um mês com relação aos preços da LME. Como resultado, é previsto que o preço do alumínio em declínio durante o segundo trimestre de 2010 venha a afetar negativamente os resultados Qatalum no terceiro trimestre de 2010. Também está previsto que a alta depreciação em relação à produção real também cause impacto nos resultados do trimestre.

Os resultados básicos dos negócios de alumina e matérias-primas da Hydro devem diminuir na segunda metade de 2010, como resultado de menores preços previstos para a alumina, devido a um LME menor e maior custo das matérias-primas, por conta de efeitos de defasagem na fórmula de precificação para a bauxita, que está, em parte, relacionada aos preços da LME. Além disso, uma diminuição nos resultados das atividades comerciais de alumina está prevista para o segundo semestre de 2010 em relação ao forte desempenho no primeiro semestre de 2010. O declínio se deve a margens previstas menores.

Baixos acúmulos de neve na região sul da Noruega resultaram em baixo reabastecimento dos reservatórios da Hydro. Como resultado, a produção de energia deverá permanecer em um nível baixo no terceiro trimestre, a menos que ocorra um nível de precipitação maior que o normal.

Ao longo do ano de 2009, a Hydro teve reduzida a sua capacidade de produção e reduziu a produção em várias plantas. Se for necessário fechar definitivamente as plantas que foram reduzidas temporariamente, serão contraídos custos adicionais significativos de fechamento.

O risco de inadimplência da outra parte nos contratos continua, mediante as condições econômicas atuais. Até agora não tivemos quaisquer inadimplências significativas e estamos acompanhando a situação atentamente.

Metal Primário

Os resultados básicos do Metal Primário melhoraram durante o trimestre, em comparação ao primeiro trimestre, devido aos preços mais elevados do alumínio e melhor desempenho em alumina e matérias-primas.

O EBIT básico da Alumina e das Matérias-Primas aumentou ainda mais no segundo trimestre, acompanhando o desempenho melhorado no primeiro trimestre. Os resultados básicos melhoraram significativamente com relação à Alunorte, principalmente devido a maiores volumes de venda como resultado de uma produção mais estável. Os preços de alumina realizados permaneceram relativamente inalterados durante o trimestre, enquanto os custos operacionais diminuíram um pouco. Os resultados básicos foram positivamente impactados pela liquidação de uma ação de seguro por interrupção de atividade.

Os resultados básicos das atividades comerciais da alumina melhoraram no trimestre após forte desempenho no primeiro trimestre, principalmente devido aos maiores volumes de contratos externos. As margens permaneceram boas, mas diminuíram um pouco em relação ao trimestre anterior. O EBIT básico foi influenciado positivamente por ganhos não realizados em contratos futuros na LME.

Os resultados básicos do alumínio primário melhoraram significativamente no segundo trimestre, com preços mais elevados de alumínio, contribuindo com, aproximadamente, NOK 600 milhões, em comparação com o trimestre anterior. Volumes de venda maiores e ágios de produto também ofereceram uma contribuição positiva para o EBIT básico para o trimestre.

Os custos variáveis aumentaram cerca de NOK 120 milhões durante o trimestre, principalmente devido a custos mais elevados da alumina e maiores custos de energia. Outros custos ficaram globalmente estáveis.

Os resultados básicos da Qatalum melhoraram ligeiramente, mas ainda eram negativos devido a um aumento substancial nas taxas de amortização, combinada com produção baixa durante a fase de desenvolvimento (ramp-up) na fábrica.

Mercados de Metal

O EBIT básico dos Mercados de Metal diminuiu no segundo trimestre, principalmente devido a um aumento dos efeitos negativos do câmbio, como resultado do enfraquecimento do Euro face ao dólar americano. Os efeitos negativos do câmbio somaram cerca de NOK 140 milhões no segundo trimestre em comparação com os efeitos negativos de cerca de NOK 100 milhões no trimestre anterior.

Os resultados básicos das operações de refusão diminuíram ligeiramente em relação ao primeiro trimestre. Os efeitos positivos decorrentes da produção e volumes de vendas maiores foram compensados pelo aumento dos custos de matérias-primas.

O total das vendas de metais da produção própria e de contratos de terceiros aumentou significativamente em comparação com o primeiro trimestre de 2010, principalmente devido aos embarques sazonalmente maiores de lingotes para extrusão em todos os mercados e aumento das vendas da planta Qatalum.

Os resultados básicos para o nosso fornecimento de metal e operações comerciais ficaram, em grande parte, inalterados desde o primeiro trimestre, com bom desempenho operacional e resultados positivos em ambos os períodos.

Laminados

O EBIT básico para Laminados aumentou substancialmente em relação ao primeiro trimestre, impulsionado, principalmente, pelo maior volume de vendas. Margens mais elevadas e menores custos operacionais por mt também contribuíram para a melhoria dos resultados básicos.

Os embarques melhoraram em todos os segmentos de mercado, exceto para as chapas litográficas, que permaneceram estáveis. Os embarques de latas de bebidas cresceram 11%, apoiados pela boa demanda continuada de mercado. Os embarques de produtos automotivos aumentaram 8%, influenciados por um fortalecimento continuado no mercado de automóveis de luxo. Os embarques de chapas finas melhoraram 7% em relação ao primeiro trimestre, impulsionados, principalmente, pela forte demanda no mercado de embalagens de líquidos. Os embarques de engenharia em geral aumentaram 5%.

O foco no custo continuou e o custo por mt diminuiu ainda mais em comparação ao primeiro trimestre. A produtividade de mão de obra também melhorou em relação ao primeiro trimestre de 2010 e ficou acima do nível alcançado em 2008, apesar de os volumes de laminados terem ficado abaixo dos níveis de 2008.

Extrudados

Os resultados básicos para Extrudados melhoraram a partir do primeiro trimestre de 2010, devido a volumes sazonais mais elevados e margens estáveis em todos os setores do negócio.

Os volumes de vendas para as nossas operações de extrusão na Europa e nas Américas aumentaram significativamente face ao trimestre anterior, principalmente como resultado da forte demanda sazonal. Os volumes para as nossas operações de sistemas de construção também foram sazonalmente mais elevados quando comparados ao primeiro trimestre, mas a recuperação do mercado da construção civil é lenta em comparação com outros segmentos de mercado. Nosso negócio de tubulação de precisão apresentou volumes um pouco mais altos em comparação com o trimestre anterior, suportado por uma forte demanda continuada do segmento automotivo. Os desenvolvimentos de margem e custo mantiveram-se estáveis para todos os setores em relação ao trimestre anterior.

Energia

O EBIT básico da Energia diminuiu em relação ao trimestre anterior, devido à produção substancialmente menor. A redução correspondente das vendas líquidas à vista teve um impacto negativo sobre o EBIT básico no total de NOK 565 milhões. Altos preços realizados à vista, pequenas diferenças de preços de área e custos de transmissão menores compensaram o impacto negativo, até certo ponto.

Outros e eliminações

O EBIT básico para Outros e eliminações somou NOK 265 milhões no segundo trimestre em comparação com uma taxa de NOK 255 milhões no trimestre anterior. O EBIT básico inclui a eliminação dos ganhos e prejuízos internos nos estoques comprados de empresas do grupo, atingindo uma taxa de NOK 85 milhões no segundo trimestre em comparação com uma taxa de NOK 116 milhões em relação ao trimestre anterior.

As atividades solares da Hydro sofreram um prejuízo básico de NOK 47 milhões no segundo trimestre em comparação com uma perda de NOK 25 milhões no trimestre anterior.

O EBIT básico para Outros e eliminações no segundo trimestre também incluiu os custos relacionados à aquisição das operações da Vale em alumínio, no valor de aproximadamente NOK 50 milhões.

Itens excluídos do EBIT básico e lucro líquido

A fim de oferecer um melhor entendimento do desempenho básico da Hydro, os itens da tabela abaixo foram excluídos do EBIT e do lucro líquido.

Os itens excluídos do EBIT básico são compostos, principalmente, de ganhos e prejuízos não realizados com determinados derivativos, encargos de depreciação e racionalização, efeitos da alienação de negócios e ativos operacionais, bem como outros itens de natureza especial ou que não deverão ser contraídos continuamente.

Vinculado ao acordo para adquirir a maior parte do negócio de alumínio da Vale no Brasil (Vale Aluminum), decidiu-se fazer hedge da maior parte da exposição do preço líquido do alumínio na Vale Aluminum até o final de 2011. Tais hedges são destinadas à mitigação do risco de um preço menor do alumínio e a garantir um fluxo de caixa robusto dos ativos adquiridos na fase de transição. Os hedges não estão condicionados à conclusão da transação. A parte significativa das posições que termina após o fechamento da transação está sujeita à contabilidade de hedge e incluída em outra receita abrangente. Efeitos reconhecidos não realizados e realizados de cargos não sujeitos à contabilidade de hedge são classificados como itens excluídos do EBIT básico.

Durante o segundo trimestre, alguns funcionários noruegueses da Hydro aceitaram uma oferta de transferência de seus contratos de aposentadoria de um plano de benefícios definido para o novo plano de contribuição. A transição resultou em corte e ganho de liquidação dos planos financiados relacionadas a tais trabalhadores. O ganho reconhecido foi excluído do EBIT básico.

Items excluded from underlying net income
NOK million Second
quarter
2010
First
quarter
2010
Second
quarter
2009
First
half
2010
First
half
2009
Year
2009
             
Unrealized derivative effects on LME related contracts 389 (253) (1,223) 136 (496) (2,630)
Derivative effects on LME related contracts (Vale Aluminium) (320) - - (320) - -
Unrealized derivative effects on power contracts 211 272 118 483 (463) (198)
Unrealized derivative effects on currency contracts 12 23 (204) 35 (223) (345)
Metal effect, Rolled Products (206) (314) 225 (520) 887 588
Significant rationalization charges and closure costs 18 (19) 117 (1) 423 518
Impairment charges (PP&E and equity accounted investments) - 61 4 61 14 438
Pension (151) - - (151) - (52)
Insurance compensation - - (66) - (66) (152)
(Gains)/losses on divestments - (67) - (67) - 684
Items excluded from underlying EBIT (47) (297) (1,029) (344) 77 (1,148)
Net foreign exchange (gain)/loss (59) (468) (88) (527) (1,566) (2,774)
Calculated income tax effect 38 241 262 279 436 441
Items excluded from underlying net income (68) (523) (854) (592) (1,054) (3,481)

Finanças

As despesas financeiras totalizaram NOK 97 milhões no segundo trimestre, em comparação com o rendimento financeiro de NOK 545 milhões no trimestre anterior.

No segundo trimestre, os ganhos em saldos intercompanhias, denominados em Euro, somaram NOK 151 milhões, devido ao Euro mais fraco em relação à coroa norueguesa. Estes ganhos não têm efeito caixa e são compensados no capital próprio pela tradução das filiais correspondentes durante a consolidação.
Outras perdas cambiais líquidas totalizaram NOK 92 milhões.

No trimestre anterior, os ganhos em moeda estrangeira sobre os saldos intercompanhias, denominados em Euro, totalizaram NOK 515 milhões devido ao Euro mais fraco face à Coroa Norueguesa.

Impostos

A despesa com imposto de renda totalizou NOK 462 milhões no segundo trimestre em comparação com uma taxa de NOK 605 milhões no trimestre anterior e uma taxa de NOK 273 milhões no segundo trimestre de 2009. As despesas com impostos no segundo trimestre incluíram aproximadamente NOK 30 milhões, relativos a processos fiscais na Alemanha.

No primeiro semestre de 2010, a despesa com imposto de renda foi aproximadamente 41% da receita antes dos impostos. A alíquota de imposto é influenciada pelos efeitos da sobretaxa de energia e pelos resultados de investimentos contabilizados de patrimônio líquido, os quais são reconhecidos líquidos sem impostos.

*********
Certain statements included within this announcement contain forward-looking information, including, without limitation, those relating to (a) forecasts, projections and estimates, (b) statements of management’s plans, objectives and strategies for Hydro, such as planned expansions, investments or other projects, (c) targeted production volumes and costs, capacities or rates, start-up costs, cost reductions and profit objectives, (d) various expectations about future developments in Hydro’s markets, particularly prices, supply and demand and competition, (e) results of operations, (f) margins, (g) growth rates, (h) risk management, as well as (i) statements preceded by “expected”, “scheduled”, “targeted”, “planned”, “proposed”, “intended” or similar statements.

Although we believe that the expectations reflected in such forward-looking statements are reasonable, these forward-looking statements are based on a number of assumptions and forecasts that, by their nature, involve risk and uncertainty.  Various factors could cause our actual results to differ materially from those projected in a forward-looking statement or affect the extent to which a particular projection is realized.  Factors that could cause these differences include, but are not limited to: our continued ability to reposition and restructure our upstream and downstream aluminium business; changes in availability and cost of energy and raw materials; global supply and demand for aluminium and aluminium products; world economic growth, including rates of inflation and industrial production; changes in the relative value of currencies and the value of commodity contracts; trends in Hydro’s key markets and competition; and legislative, regulatory and political factors.

No assurance can be given that such expectations will prove to have been correct.  Hydro disclaims any obligation to update or revise any forward-looking statements, whether as a result of new information, future events or otherwise.