Skip to content

Hydro apresenta Powerhouse na Rio+20

A eficiência energética de edifícios por meio do uso de alumínio e o projeto Powerhouse da Hydro estão na ordem do dia, quando os líderes mundiais se reúnem no Rio esta semana para a reunião em que discutirão como o mundo pode gerar desenvolvimento social e econômico, levando em conta o meio ambiente.

O vice-presidente executivo da Bauxita & Alumina, Johnny Undeli, foi convidado a apresentar as soluções de alumínio existentes para construções durante a «Rio+20 Dia de Negócios”, como exemplo de como a indústria metalúrgica e mineira pode contribuir para um desenvolvimento sustentável numa economia de baixo carbono.

“É extremamente inspirador participar de uma arena tão importante e
bem-renomada e poder mostrar como a Hydro e o alumínio podem ser parte da solução para o maior desafio da nossa geração, ou seja, as mudanças climáticas,” diz Undeli em sua apresentação na Rio+20 Dia de Negócios.

“Sabendo que os edifícios são responsáveis por 40 % do consumo de energia no mundo – quase o dobro do consumo de navios, automóveis, trens e aviões juntos – fica claro que há um grande potencial de economia de energia nos edifícios. É importante que a indústria e os políticos trabalhem juntos para se encontrar soluções tecnológicas que contribuam para o crescimento sustentável. Nosso trabalho com eficiência energética de edifícios é um bom exemplo disso,” disse Undeli.

Undeli fez sua apresentação na Rio+20 Dia de Negócios, sob a direção da Ação Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável 2012 (BASD, na sigla em inglês), órgão de coordenação das Nações Unidas para a indústria e comércio na Rio+20.

Entre os atores importantes da BASD 2012 estão o Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável e o Conselho Internacional de Mineração e Metais, organizações que estão bem representadas na Rio+20 e às quais a Hydro está afiliada.

A meta da Rio+20 é criar um compromisso renovado para o desenvolvimento sustentável, quer dizer, um desenvolvimento que satisfaz as necessidades da geração atual, sem reduzir as possibilidades das futuras gerações. As questões principais são saber como se pode melhorar a coordenação internacional e como se pode criar uma economia verde sustentável, tirando, ao mesmo tempo, as pessoas da pobreza.