Skip to content

Os jovens futebolistas da Hydro tiveram um bom desempenho no Norway Cup

Os jovens de Barcarena, no Pará, tiveram de desistir do sonho da vitória no campeonato de futebol Norway Cup este ano, quando foram desclassificados na segunda rodada da categoria. Mesmo assim, mostraram boas habilidades em campo e impressionaram com excelentes gols e bom trabalho de equipe.

Desde 2001, a Hydro traz equipes do Brasil, da Eslováquia ou da Jamaica para a festa de futebol no Ekebergsletta em Oslo. Este ano, dezoito garotos brasileiros entre 14 e 17 anos participaram do evento.

Entrada triunfal

Os participantes do Brasil estavam com muita vontade de mostrar suas habilidades futebolísticas no Norway Cup. Fundo de campo controlado, velocidade e boa defesa renderam a vitória de nove a zero contra a equipe Skarp na primeira partida do campeonato. Ao todo, a equipe ganhou duas das quatro partidas; a última tendo de ser decidida nos pênaltis e, infelizmente, acabando em derrota para a equipe.

“Treinamos muito e partimos para ganhar. Apesar de a primeira partida ter sido muito boa, foi importante manter o foco nos jogos seguintes, algo que sinto que conseguimos fazer, mesmo sofrendo derrota”, diz o goleador de 16 anos, Ronaldo da Silva Amorim.

A Alunorte Rain Forest é formada por garotos e garotas de Barcarena no Pará, Estado em que a Hydro tem negócios de alumínio. Os jogadores participam de um programa local de educação com o apoio da Hydro e de Barcarena. Participar do Norway Cup é uma recompensa para os jovens pelos seus esforços tanto na escola como na cancha de futebol.

Em Barcarena, a bauxita, vinda de Paragominas e Trombetas, é refinada em alumina na Alumina do Norte do Brasil S.A. (Hydro Alunorte), fábrica em que a Hydro detém 91 % das ações. A produção da Alunorte teve início em 1995 e, após três ampliações, tem hoje uma capacidade total de mais de seis milhões de toneladas.

Velocidade e empolgação também fora de campo
Os jogadores acharam o máximo passar um dia no parque de diversões Tusenfryd. Num minuto a 90 quilômetros por hora e no minuto seguinte queda livre de vários metros, os garotos tiveram um dia recheado de aventuras diferentes das do futebol. “Sentar sequinho no banco e sair de lá ensopado foi uma das coisas mais legais no Tusenfryd”, conta Ronaldo.

Como parte do programa, os jogadores também visitaram a sede da Hydro em Vaekeroe, onde comeram hambúrguer e sorvete e assistiram, estupefatos, ao show do mágico Jon Ensor. Mesa flutuante e objetos que desapareciam foram os pontos altos do show que impressionou o público jovem.

“Ver uma garrafa d’água desaparecer através de uma mesa foi algo incrível. Nunca mais vou me esquecer disso”, diz Ronaldo.