Skip to content

Carregamento de alumina da Alunorte é suspenso; produção continua não afetada

A Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Pará (SEMA) suspendeu a licença operacional da refinaria para o carregamento de alumina no porto de Vila do Conde, a partir de 1º de abril. A medida tem impacto imediato de suspender todas as atividades de carregamento de alumina na Alunorte. A produção continua não afetada.

A SEMA argumenta que Alunorte não cumpriu uma das condições da licença, que é a de apresentar um plano para reduzir as emissões de pó de alumina na operação de carregamento realizada no porto.

A refinaria afirma que já utiliza uma das melhores tecnologias disponíveis para esse tipo de operação e discorda do entendimento da SEMA de que as condições não estariam sendo cumpridas.

A Alunorte continua dialogando com a SEMA e espera resolver a questão de modo que o carregamento de alumina seja retomado sem que haja impacto na produção, conforme divulgado pela empresa em um release enviado nesta terça-feira, pela manhã.

A fábrica, em Barcarena, tem uma capacidade nominal de 6,3 milhões de toneladas e é a maior refinaria de alumina do mundo.