Skip to content

Prêmio da Norway Cup para jovens estudantes brasileiros

No dia 26 de julho será dado o chute inicial do maior torneio de futebol infanto-juvenil do mundo, no Ekebergsletta, em Oslo, Noruega. A Hydro está muito feliz em receber a equipe do Alunorte Rain Forest do Brasil, que participa pela décima quarta vez.

A Hydro tem operações de alumínio em Barcarena, no estado brasileiro do Pará. Aqui ficou claro que o futebol contribui de maneira significativa para o combate ao absentismo e evasão escolar.

Por isso a Hydro firmou uma parceria com o município de Barcarena em 2001, visando trazer mais jovens de volta para a sala de aula. Entre os fatores motivadores para os jovens figuram a participação e um lugar no time de futebol Alunorte Rain Forest Team, bem como a viagem para vivenciar a Norway Cup.

Disputa acirrada

A disputa pelos lugares no time que viaja para a Noruega é acirrada e envolve muito prestígio. Os alunos são avaliados com base em suas habilidades de futebol, seu desempenho na escola e sua conduta e postura geral.

Milhares de alunos concorrem para realizar o sonho do Ekebergsletta.

A maior vitória

Já no dia 8 de novembro do ano passado foi realizada uma solenidade de despedida para o time nas instalações da Hydro em Barcarena, onde cada jogador recebeu seu passaporte e uma mala com uniforme e guia de viagem da Noruega.

– O nosso primeiro grande gol de placa é vocês estarem na escola, estudando, cuidando do futuro de vocês. A educação e a experiência de uma viagem como essa mudam a vida de uma pessoa – disse o diretor da Alunorte, a refinaria de alumina da Hydro em Barcarena, Silvio Porto, durante a solenidade.

– Quando os nossos filhos alcançam essa vitória, nós nos tornamos vitoriosos junto com eles – declarou José Augusto Freitas, pai orgulhoso de um dos garotos da equipe.

Desde 2001 mais de 12 mil crianças e jovens concorreram para viajar à Noruega e participar da copa, que se realizou pela primeira vez em 1972.

Os dados de 2014 mostram que 44% dos brasileiros da Região Norte abandonam o ensino médio antes de completarem 14 anos. No entanto, houve uma grande melhora no ensino fundamental (dos 6 aos 14 anos), segmento em que a parcela dos que não se formam caiu de 15% em 2000 para 4% em 2013.