Skip to content

Alunorte busca acordos com autoridades brasileiras para normalizar operação

A Alunorte tem mantido diálogo com as autoridades ambientais do Pará para normalizar a operação da refinaria. Além disso, a Alunorte está buscando um acordo com o Ministério Público, que publicou em 26 de março sua contraproposta a ser avaliado pela empresa.

Após as fortes chuvas em fevereiro, as inspeções conduzidas por várias autoridades locais, estaduais e federais, incluindo Ibama e Semas, confirmaram a integridade dos depósitos de resíduo de bauxita da Alunorte e que não há evidência de vazamento ou transbordo. Isso foi confirmado, mais uma vez, por autoridades competentes em uma sessão no Congresso Nacional, em Brasília, no dia 15 de março.

A Hydro, como acionista majoritária da Alunorte, está realizando uma análise interna e outra independente, conduzida pela consultoria ambiental SGW, para esclarecer todos os fatos relevantes em torno dos descartes de águas da chuva e águas superficiais da área da refinaria de alumina. As conclusões dessas análises serão apresentadas em 9 de abril.

Não há indicação de impactos significativos ou duradouros no meio ambiente após as fortes chuvas de fevereiro na região Barcarena.

Fatos sobre a situação na Hydro Alunorte