Skip to content

Primeiro trimestre de 2019 – volumes, preços e custo de matérias-primas geram baixos resultados

Os lucros ajustados da Hydro antes de juros e impostos foi de NOK 559 milhões no primeiro trimestre de 2019, em comparação aos NOK 3,14 bilhões do primeiro trimestre do ano passado. Esta queda reflete em grande parte os preços realizados da alumina mais baixos, a alta no custo de matérias-primas e os efeitos do corte de produção na refinaria de alumina Alunorte.

Operations at Alunorte
  • EBIT ajustado de NOK 559 milhões.
  • Justiça Federal revoga embargo de produção na Alunorte – Alunorte, Paragominas e Albras voltam a produzir.
  • Ataque cibernético causa impacto financeiro de NOK 300 a 350 milhões no primeiro trimestre – Soluções em Extrudados foi a mais afetada.
  • Forte desempenho na Soluções em Extrudados, em especial nas operações norte-americanas.
  • Preços mais baixos e custo mais alto de matérias-primas provocam queda nos resultados da Metal Primário.
  • Alta de preços gera bons resultados na Energia.
  • Expectativa de déficit no mercado global de metal primário em 2019, e a insegurança macroeconômica continua.

"Estou muito satisfeita com a revogação dos embargos de produção, que permitirá focar nossos esforços em retomar a produção em segurança na Alunorte, Paragominas e Albras e retornar à normalidade das operações, pois nossas operações no Brasil são fundamentais para a agenda geral da Hydro e nossa ambição de aumentar nossa lucratividade”, disse a presidente e CEO da Hydro, Hilde Merete Aasheim.

“Seguimos otimistas quanto às perspectivas do alumínio, mas, por causa da incerteza de mercado e os desafios que toda a indústria enfrenta em termos de lucratividade, incrementaremos nossa ambição de melhorias, faremos uma revisão estratégica da área de negócios Produtos Laminados e asseguraremos uma disciplina financeira mais restrita, além de lucros mais altos”, disse Aasheim, acrescentando que a Hydro sediará o Dia do Investidor, no dia 24 de setembro, em que apresentará as ambições atuais da companhia.

O EBIT ajustado da área de negócios Bauxita & Alumina caiu significativamente, comparado com o primeiro trimestre do ano passado, passando de NOK 741 milhões em 2018 para NOK 153 milhões em 2019. Tais resultados foram a consequência dos efeitos do corte de produção na Alunorte e na Paragominas, por causa do embargo, e da alta de matérias-primas, os quais foram parcialmente compensados pelos efeitos cambiais positivos.

Na área de negócios Metal Primário, o EBIT ajustado caiu de NOK 823 milhões no primeiro trimestre de 2018 para NOK 771 milhões negativos no mesmo trimestre em 2019, em virtude especialmente da baixa dos preços all-in do metal e do custo mais elevado de matérias-primas.

O EBIT ajustado da Mercados de Metal, ao contrário, melhorou, passando de NOK 178 milhões no primeiro trimestre do ano passado para NOK 190 milhões no primeiro trimestre deste ano, graças a um melhor resultado das refusoras e das atividades de comercialização e aprovisionamento, os quais foram, em parte, afetados pela contribuição negativa do câmbio e dos efeitos de avaliação de estoque.

O EBIT ajustado da Produtos Laminados foi mais baixo, NOK 138 milhões no primeiro trimestre de 2019 em comparação aos NOK 232 milhões do mesmo trimestre em 2018. O resultado das laminadoras foi estável, mas os efeitos cambiais positivos foram afetados pelo aumento dos custos de pessoal. Os resultados da refusora em Neuss sofreram queda por causa do preço all-in mais baixo e o aumento do custo da alumina.

Na Soluções em Extrudados, o EBIT ajustado caiu em consequência direta do ataque cibernético, ficando em NOK 593 milhões no primeiro trimestre de 2019, em comparação aos NOK 734 milhões do mesmo trimestre em 2018. O impacto do ataque foi parcialmente coberto por margens mais altas, especialmente em nossas operações na América do Norte.

O EBIT ajustado da área de negócios Energia, ao contrário, aumentou de NOK 278 milhões no primeiro trimestre do ano passado para NOK 517 milhões no primeiro trimestre de 2019. A melhora se deve basicamente à alta de preços e aos melhores resultados comerciais.

O programa de melhorias da Hydro, “Better”, não alcançará sua meta inicial para 2019, em virtude do embargo de produção na Alunorte e os cortes subsequentes na mina Paragominas, fonte de bauxita da Alunorte, e na Albras, fábrica subsidiária de alumínio em que Hydro tem participação.

No final do primeiro trimestre, a posição de dívida líquida da Hydro passou de NOK 8,7 bilhões para NOK 12,1 bilhões, incluindo um aumento de dívida de NOK 3,1 bilhões da implementação do IFRS 16 – locações. O caixa líquido de atividades operacionais somou NOK 0,8 bilhão, e o caixa líquido de atividades de investimentos somou NOK 1,6 bilhão, excluindo investimentos de curto prazo.

O EBIT reportado da Hydro totalizou NOK 20 milhões no primeiro trimestre de 2019, comparado com os NOK 3,3 bilhões no primeiro trimestre de 2018.

Além dos fatores apresentados acima, os lucros reportados antes dos juros e impostos (EBIT) e a receita líquida incluem os efeitos apresentados no relatório trimestral. Os itens excluídos do EBIT ajustado e da receita (ou perda) líquida ajustada estão definidos e descritos como parte da seção de medidas alternativas de desempenho (APM) no relatório trimestral.

Contatos

Line Haugetraa

Line Haugetraa

Head of Investor Relations

halvor molland

Halvor Molland

Senior vice president, Group Communication

Recommended for you