Skip to content

Alumínio e saúde

Apesar de alguns afirmarem que a exposição ao alumínio pode ser prejudicial para a saúde, isto não foi comprovado cientificamente. Na verdade, o alumínio é um grande recurso para vários produtos e compostos que melhoram a saúde.

A healthy work-life balance

O alumínio faz parte da evolução

O alumínio é o terceiro elemento mais comum da crosta terrestre, depois do oxigénio e do silício. Ou seja, os seres humanos evoluíram e vivem em ambientes ricos em alumínio desde os tempos primórdios. Isto também implica que estamos bem adaptados a este elemento e estamos expostos diariamente ao alumínio de várias maneiras.

Evitar sobre-exposição

Quando o alumínio é absorvido pelo corpo, é levado através da corrente sanguínea para os rins, onde é rapidamente descartado. A exceção são pacientes com insuficiência renal aguda, porque o alumínio pode ficar acumulado e resultar num efeito tóxico. Este é um problema conhecido entre a comunidade médica, que usa água sem alumínio para diálise.

Como muitos outros elementos e compostos do nosso mundo moderno, uma sobre-exposição contínua pode resultar em efeitos negativos na saúde. Estudos em animais demonstram que a exposição a altas doses de alumínio resultam em anomalias ósseas ou problemas com o sistema nervoso.

Neste aspeto, é importante realçar que não há provas científicas que sugiram que uma exposição normal ao alumínio tenha efeitos negativos numa pessoal saudável. Pelo contrário, o alumínio oferece benefícios para a saúde porque é uma barreira segura contra bactérias e contaminações na preservação de alimentos. Os compostos do alumínio também aumentam o efeito de vacinas e medicamentos; o sulfato de alumínio é usado para purificar água.

Em resumo: Uma exposição diária normal ao alumínio é segura desde que não sofra de insuficiência renal, nem esteja sujeito a sobre-exposição prolongada, especialmente no ar.

Fontes do alumínio

Atualmente o alumínio é quase omnipresente na nossa vida moderna. É usado para tudo, desde artigos para o lar, como cerâmicas, papel, lâmpadas e vidro, e também medicamentos, tintas, explosivos ou aditivos de combustível.

Alimentos

O alumínio é um ingrediente natural de frutas e legumes, o que representa o maior volume de ingestão. Na Europa, a dose de ingestão diária está estimada em 3–10 miligramas, que está bem dentro do limite para sobre-exposição. O alumínio de panelas, utensílios de cozinhas, latas e películas tem um impacto mínimo na nossa ingestão diária (< 0.1 mg).

Água

O alumínio é um componente natural da água, também é usado o sulfato de alumínio para purificar água de forma eficiente. Em média, a água representa menos de 1% da nossa ingestão diária de alumínio.

Medicamentos

Os compostos de alumínio para fins médicos desde os tempos da Grécia Antiga, onde era usado como astringente por exemplo, para parar hemorragias. Hoje em dia, usamos compostos de alumínio para aumentar a eficiência de vacinas e o hidróxido de alumínio é usado para tratar úlceras do estômago, entre outros.

Cosmética

Os sais de alumínio são geralmente usados em desodorizantes na cosmética, devido às suas propriedades antiperspirantes. O alumínio também pode estar presente em cores e agentes espessantes.