Skip to content

Norsk Hydro: instalações portuárias no Pará podem fechar para saneamento

Os Ministérios Públicos Federal e Estadual do Pará, junto com a Defensoria Púlica do Estado, solicitaram à Justiça Federal a interrupção das atividades do porto de Vila do Conde, para saneamento da área após o naufrágio de um navio que transportava gado naquele porto, no último dia 06 de outubro. As operações da Hydro no local, Albras e Hydro Alunorte, permanecem inalteradas até o momento.

O naufrágio aconteceu em um píer de Vila do Conde, que é o maior porto do Pará e que abriga também os terminais que a Hydro utiliza para carregar e descarregar seus produtos acabados e matérias-primas da Hydro Alunorte e Albras. Uma eventual interrupção futura do porto não teria impacto imediato nas operações da Hydro. No entanto, se houver interrupção e se a situação se estender por um prazo mais longo poderá, eventualmente, impactar as operações da empresa.

A Hydro está acompanhando a situação de perto e está ajudando ativamente autoridades a lidar com a situação. O porto é de propriedade e administração da Companhia Docas do Pará (CDP).

A Hydro Alunorte, controlada 92 por cento pela Hydro, tem uma capacidade nominal de 6,3 milhões de toneladas e é a maior refinaria de alumina do mundo. A Albras é a maior fábrica de alumínio do Brasil, com uma capacidade anual de 460.000 toneladas de alumínio. Ambas as plantas estão localizadas no município de Barcarena, no estado do Pará, no norte do Brasil.